Buscar
  • The Floxo's Nest

PT - Drone com célula de combustível bate recorde ao voar continuamente durante 331 minutos

Um dos calcanhares de Aquiles dos drones é a sua autonomia. Caso contrário, o mercado destes objetos voadores seria substancialmente maior. Contudo, um projeto colocou num drone uma célula de hidrogénio e permitiu à aeronave estabelecer um novo recorde mundial, voando ininterruptamente durante 331 minutos.

O recorde de mais de 5 horas permanentes em voo poderá abrir uma nova linha de ação para estas pequenas máquinas voadoras.


Um dos calcanhares de Aquiles dos drones é a sua autonomia. Caso contrário, o mercado destes objetos voadores seria substancialmente maior. Contudo, um projeto colocou num drone uma célula de hidrogénio e permitiu à aeronave estabelecer um novo recorde mundial, voando ininterruptamente durante 331 minutos. O recorde de mais de 5 horas permanentes em voo poderá abrir uma nova linha de ação para estas pequenas máquinas voadoras. 5 horas e meia de voo contínuo e drone bate recorde do mundo!

Segundo a FuelCellWorks, uma publicação dedicada às células de combustível e células de hidrogénio, um drone fez algo histórico. Citando várias fontes de comunicação social chinesas, foi dado a conhecer que uma aeronave de investigação, alimentada a pilhas de hidrogénio, estabeleceu um recorde mundial, ao voar durante 331 minutos ininterruptos. Segunda a Science and Technology Daily, a empresa Beijing Xinyan Chuangneng Technology desenvolveu um drone de seis rotores, alimentado por uma célula de combustível de hidrogénio, que voou durante 331 minutos. Este foi um projeto conjunto entre Xinyan Chuangneng e a China National Airways. O drone está equipado com uma garrafa de armazenamento de hidrogénio a alta pressão que fornece hidrogénio às células de combustível para gerar eletricidade. Ao que tudo indica, a empresa tem este projeto  somente há um ano na implementação do hidrogénio. Contudo, nesse tempo conseguiram desenvolver com sucesso uma célula de combustível de placa metálica de 2kW que possui uma célula e um sistema de arrefecimento por ar.


Hidrogénio fornece energia para voar por várias horas


No equilíbrio dos componentes poderá estar o segredo do seu sucesso. Isto, porque a empresa conseguiu um corpo de tamanho compacto, peso reduzido e elevada densidade de potência, que proporcionam um excelente desempenho mesmo em altitudes elevadas.

Por falar em altitudes elevadas, o longo tempo de voo em condições de baixo oxigénio, baixa temperatura e ventos extremos mostra que as células de combustível de hidrogénio podem resistir a condições difíceis. No entanto, com essas condições a equipa originalmente programou o lançamento apenas para voar durante apenas 240 minutos. Dado o potencial do equipamento, a equipa excedeu em 91 minutos as suas próprias expectativas.

Durante o voo, a aeronave pôde demonstrar o valor das pilhas de combustível de hidrogénio, que só emitiram vapor de água. Um drone semelhante com uma bateria de lítio, para todas as condições meteorológicas, tem um tempo de voo inferior a uma hora.


Apesar de não ser algo novo, a verdade é que a tecnologia drone está a começar a ser utilizada mais amplamente. A fomentar este incremento estará uma parceria entre a United Parcel Service (UPS) e a Wingcopter para fornecer drones com o intuito de transportar medicamentos e utensílios médicos em locais remotos.

Portanto, se o problema é a distância de voo, o hidrogénio poderá desempenhar um papel importante na distância total. Com a utilização das células de combustível num formato mais comercial, os drones podem percorrer muitos mais quilómetros.


Fonte: https://pplware.sapo.pt

0 visualização